Você é uma pessoa dissimulada?


A pessoa dissimulada esconde suas reais intenções e sentimentos e se mostra de maneira bem contrária aquilo que de fato é. Dissimulada é a pessoa fingida, falsa, hipócrita.


Para evitar que a pessoa cristã seja uma pessoa dissimulada, o apostolo Paulo escreveu aos Romanos: “Que o amor de vocês não seja fingido” (Rm 12.9).


Que o amor não seja dissimulado, ou seja, fingido! Para isso: “Odeiem o mal e sigam o que é bom. Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito. Trabalhem com entusiasmo e não sejam preguiçosos. Sirvam o Senhor com o coração cheio de fervor. Que a esperança que vocês têm os mantenha alegres; aguentem com paciência os sofrimentos e orem sempre. Repartam com os irmãos necessitados o que vocês têm e recebam os estrangeiros nas suas casas. Peçam que Deus abençoe os que perseguem vocês. Sim, peçam que ele abençoe e não que amaldiçoe. Alegrem-se com os que se alegram e chorem com os que choram. Tenham por todos o mesmo cuidado. Não sejam orgulhosos, mas aceitem serviços humildes. Que nenhum de vocês fique pensando que é sábio! Não paguem a ninguém o mal com o mal. Procurem agir de tal maneira que vocês recebam a aprovação dos outros. No que depender de vocês, façam todo o possível para viver em paz com todas as pessoas. Meus queridos irmãos, nunca se vinguem de ninguém;...” (Rm 12.9-19).


Agir com dissimulação ou fingimento traz prejuízos indescritíveis para a igreja. A Igreja é uma composição de dons visando o bem de todos (Rm 12.1-8).


“Que o amor de vocês não seja fingido” (Rm 12.9) – odeiem o mal.


Tem pessoas perfumadas, mas destilam veneno!


O apostolo Paulo usa frequentemente a palavra “fugir” mostrando a repulsa que o cristão deve dar das coisas que são más (1Co 6.18; 10.14; 1Tm 6.11).


“Que o amor de vocês não seja fingido” (Rm 12.9) – segue o bem.


A expressão “seguir - apegar” refere-se a um desejo intenso de apropriar-se de alguma coisa. Assim, a pessoa que ama sem fingimento busca de maneira constante e intensa o bem dela e de todos que a cercam.


O amor sem fingimento é odiar o mal e apegar-se ao bem.


Na carta aos Colossenses, o apostolo Paulo, desenvolve sobre o odiar o mal e apegar-se ao bem, escrevendo: “...livrem-se de tudo isto: da raiva, da paixão e dos sentimentos de ódio. E que não saia da boca de vocês nenhum insulto e nenhuma conversa indecente. Não mintam uns para os outros, pois vocês já deixaram de lado a natureza velha com os seus costumes” (Cl 3.8-9) e, “Vocês são o povo de Deus. Ele os amou e os escolheu para serem dele. Portanto, vistam-se de misericórdia, de bondade, de humildade, de delicadeza e de paciência” (Cl 3.12).


Odiar o mal e apegar-se ao bem é empurrar para longe o mal e abraçar o bem. Explico isso com a seguinte história:

Certa vez uma pessoa idosa disse: tenho dentro de mim dois cães. Um deles é cruel e mau. O outro é muito dócil e bom. Os dois estão sempre brigando. Ouvindo isso, alguém perguntou: qual dos dois vence a briga? Ao que o ancião respondeu: aquele que eu alimento mais.


O mundo exige vingança, retaliação, briga, discórdia, separação. Deus, pela sua Palavra, diz: pise no freio, calma, ouça com atenção, cuidado, perdoe, ame.


Em nós há dois homens. Até as mulheres tem dois homens, e espero que os ciumentos não briguem com suas mulheres. Em nós há o velho e novo homem. Esses homens estão em briga o tempo todo. Para nos ajudar nessa briga a favor do novo homem, Paulo aconselha: odeie o mal e apegue-se ao bem.


Que o amor não seja dissimulado, fingido! Para isso: “Odeiem o mal e sigam o que é bom. Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito. Trabalhem com entusiasmo e não sejam preguiçosos. Sirvam o Senhor com o coração cheio de fervor. Que a esperança que vocês têm os mantenha alegres; aguentem com paciência os sofrimentos e orem sempre. Repartam com os irmãos necessitados o que vocês têm e recebam os estrangeiros nas suas casas. Peçam que Deus abençoe os que perseguem vocês. Sim, peçam que ele abençoe e não que amaldiçoe. Alegrem-se com os que se alegram e chorem com os que choram. Tenham por todos o mesmo cuidado. Não sejam orgulhosos, mas aceitem serviços humildes. Que nenhum de vocês fique pensando que é sábio! Não paguem a ninguém o mal com o mal. Procurem agir de tal maneira que vocês recebam a aprovação dos outros. No que depender de vocês, façam todo o possível para viver em paz com todas as pessoas. Meus queridos irmãos, nunca se vinguem de ninguém;...” (Rm 12.9-19).


“Que o amor de vocês não seja fingido” (Rm 12.9) – amem uns aos outros.


É natural no ser humano ter pessoas com as quais possuem mais afinidade. Isso não é problema. O ponto é quando por causa dessas, ou por colocar essas acima das outras, despreza outras pessoas.


O amor para com as outras pessoas é direcionado pelo “amor de irmãos em Cristo”. Igreja não é clube da Luluzinha e do bolinha.


“Que o amor de vocês não seja fingido” (Rm 12.9) – seja respeitoso com todos.


Trate a todos como igual! Não importa seu status social, cor, raça.


“Que o amor de vocês não seja fingido” (Rm 12.9) - Trabalhem com entusiasmo. Sirvam o Senhor com o coração cheio de fervor.


O profeta Jeremias exortou o povo de Deus dizendo: “maldito aquele que fizer a obra do Senhor relaxadamente” (Jr 4810). Não trate as coisas de Deus de qualquer maneira. Para a igreja de Laodicéia, Jesus em sua carta anunciou: “Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te” (Ap 3.19).


Servir com fervor significa transbordar, ser como água fervendo numa vasilha. Jesus exortou a igreja de Laodicéia: “Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente! Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca” (Ap 3.15-16).


Servir com fervor é transbordar no serviço. Quantas vezes o espírito é outro, ou seja, reclamamos por servir. Porque só eu? E o outro? Aos poucos ficamos mornos no trabalho do Senhor.


É o Senhor que servimos! Esse Senhor é aquele que deu a sua vida por nós. Sua vida foi oferecida sem murmuração ou queixa. Jesus disse: “Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes” (Mt 25.40), por isso, o salmista exclamou: “Servi ao Senhor com alegria” (Sl 100).


Que o amor não seja dissimulado, fingido! Para isso: “Odeiem o mal e sigam o que é bom. Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito. Trabalhem com entusiasmo e não sejam preguiçosos. Sirvam o Senhor com o coração cheio de fervor. Que a esperança que vocês têm os mantenha alegres; aguentem com paciência os sofrimentos e orem sempre. Repartam com os irmãos necessitados o que vocês têm e recebam os estrangeiros nas suas casas. Peçam que Deus abençoe os que perseguem vocês. Sim, peçam que ele abençoe e não que amaldiçoe. Alegrem-se com os que se alegram e chorem com os que choram. Tenham por todos o mesmo cuidado. Não sejam orgulhosos, mas aceitem serviços humildes. Que nenhum de vocês fique pensando que é sábio! Não paguem a ninguém o mal com o mal. Procurem agir de tal maneira que vocês recebam a aprovação dos outros. No que depender de vocês, façam todo o possível para viver em paz com todas as pessoas. Meus queridos irmãos, nunca se vinguem de ninguém;...” (Rm 12.9-19).


“Que o amor de vocês não seja fingido” (Rm 12.9) – vivendo em alegria, suportando tudo com paciência, orando, repartindo com os irmãos necessitados e sendo hospitaleiro.


Alegria essa que perdura devido a esperança, mesmo ante a perseguição. Não deixar de receber um cristão em casa devido a ameaça contra os cristãos. Mesmo correndo perigo de vida, hospede àquele que precisa ser hospedado.


“Que o amor de vocês não seja fingido” (Rm 12.9) – não amaldiçoe, seja empático, humilde, não se ache, viva em paz com todos, não se vinguem.


O apostolo Paulo descreve uma verdadeira e real vida e comunidade. Relembremos:

“Que o amor de vocês não seja fingido” (Rm 12.9).


1 - Odeiem o mal;

2 - Sigam o bem;

3 - ame uns aos outros;

4 - seja respeitoso com todos;

5 - Trabalhe com entusiasmo. Sirva o Senhor com o coração cheio de fervor;

6 - viva em alegria, suporte tudo com paciência, ore, reparta com os irmãos necessitados e seja hospitaleiro;

7 - não amaldiçoe, seja empático, humilde, não se ache, viva em paz com todos, não se vingue;

Essa vida em comunidade provém de Deus que renova a nossa mente e nos auxilia a praticar nossos dons diariamente e dia após dia prestar culto a Deus. Amém




Rwv. Edson Ronaldo Tressmann

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo