top of page
Mulher orando

Mensagens

Um Deus vingativo?


João 15:9 – Como o Pai Me amou, também Eu vos amei.


Um menino de Aberdeen, Escócia, não gostava muito de ameixas, apesar da mãe estar sempre falando sobre o quão saudáveis elas eram. Uma noite, ela serviu ameixas como sobremesa, e o menino se rebelou. A mãe implorou. A mãe adulou. Mas o menino continuava de boca fechada e braços cruzados sobre o peito. Finalmente, já sem esperança, ela disse: “Deus vai ficar zangado se você não comer estas ameixas!” Mesmo assim, o menino recusou-se a comê-las, e foi mandado para a cama.


Com um olhar de censura e reprovação, a mãe colocou-o debaixo dos lençóis e desceu as escadas. De repente, começou uma forte tempestade. Os relâmpagos iluminavam o quarto, os trovões ribombavam e a chuva tamborilava no telhado. A mãe correu para o andar de cima para dar uma olhada no quarto do menino, esperando vê-lo na cama. Em vez disso, viu o garoto junto à janela. Ele murmurava: “Tanta confusão só por causa daquelas ameixas horrorosas.”


Podemos até rir dos comentários do menino ou sorrir pela sua falta de compreensão de Deus. Mas é muito provável que estejamos lutando com essa mesma questão. Mesmo cristãos dedicados podem abraçar a falsa noção de que seus pecados deixam Deus zangado. Essa visão de Deus é baseada no medo, não no amor. Quando nossa experiência cristã é baseada no medo, existe pouquíssima alegria e quase nenhum poder espiritual dinâmico em nossa vida cristã.


Uma outra maneira de abordar a vida cristã faz uma grande diferença. Deus é bom. Ele faz o bem e deseja apenas o bem para nós. Nossos pecados não deixam Deus zangado. Eles O magoam profundamente. Ele não fica irado conosco quando pecamos. Seu coração fica partido, porque o pecado é destrutivo. Estamos destruindo a nós mesmos. Deixamos de experimentar a “vida… em abundância” que Ele oferece (Jo 10:10).


A maior motivação para viver uma vida piedosa é o senso de que um Deus amoroso, que deu Sua vida por nós, fica magoado quando damos as costas para esse amor por causa de prazeres baratos e pecaminosos. Como um pai amoroso, Seu único desejo para nós é a felicidade duradoura e genuína.


Se o Seu amor não conseguir manter-nos fiéis, nada conseguirá.


Reflita sobre isso no dia de hoje e ore comigo agora:


Querido Deus, que a nossa motivação seja o Teu amor, e nada mais! Que façamos a Tua vontade e Te amemos cada vez mais, a cada dia. Em nome de Jesus, amém!


Pr. Amilton Menezes


23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page