Ser esposa de pastor


✖️Ser esposa de Pastor é ser aquela mulher sem nome, que cuida sozinha dos filhos durante os cultos tentando fazer com que eles fiquem quietinhos.


🔄Ser esposa de Pastor é ser aquela mulher que todos a conhecem pelo nome, mesmo ela não sabendo o nome de todos.


E que durante os cultos tem o privilégio de poder escutar seu marido e pai dos seu filhos representando o próprio Cristo.


✖️Que tem que ir a todos os eventos na Igreja, mesmo quando não está com vontade.


🔄Que pode ir a todos os eventos da igreja porque sabe da importância de estar em comunhão com os irmãos, mas que também tem a sabedoria de se afastar para cuidar de si e se recuperar quando não está bem.


✖️É ter sempre que estar com um sorriso nos lábios e com palavras amáveis mesmo quando seu coração está triste.


🔄Como uma cristã ajuda a carregar os fardos dos irmãos e também é ajudada por eles quando precisa.


✖️É ter que se calar quando escuta calúnias sobre seu esposo e ministério.


🔄É ter a sabedoria de discernir o que é fofoca e o que é algo importante a ser levado em consideração.


É, quando necessário, poder defender seu marido e pastor colocando um ponto de vista que às vezes os membros não enxergam, usando palavras sábias e não rixosas.


✖️É ser excluída das rodinhas de conversas por que o assunto é sobre ela ou seu esposo.


🔄É se afastar das fofocas, pois não edificam em nada a sua vida e estar perto daqueles que precisam de um ouvido e uma palavra amiga.


✖️É ser olhada de cima a baixo por causa das roupas que veste: muito arrumada? Tá errada!!! Pouco arrumada? Tá errada também!!!


🔄É poder ser admirada pelas mulheres e ter o privilégio de ser inspiração para elas tanto em seu jeito de se vestir, como em seu comportamento. É também saber filtrar as críticas que escuta e entender que muito do que as pessoas externam dizem mais sobre elas próprias do que sobre você.


✖️É ser cobrada de ter que desenvolver muitos ministérios dentro da Igreja, porém se faz porque tem o dom, é ser apontada como protegida do Pastor.


🔄É ser protegida pelo marido quando os membros querem sobrecarregá-la com funções que ela não tem o dom e nem vontade de fazer. É ter o privilégio de ser uma serva de Cristo, assim como outras servas e colocar em prática sua mordomia cristã de acordo com os seus dons.


❓️É sofrer retaliação quando seu esposo exorta alguém.


✖️É ficar sozinha em casa, cuidando dos filhos enquanto seu esposo vai cuidar das famílias dos outros.


🔄É ter o privilégio de passar um tempo de qualidade com seus filhos enquanto o seu esposo vai ser Cristo na vida dos outros.


É poder também acompanhar seu esposo na missão e ter o privilégio de se aproximar um pouco mais dos membros, conhecer suas realidades e fraquezas e poder ser um pequeno Cristo na vida dos que precisam de auxílio.


✖️É tentar conduzir seus filhos a terem uma espiritualidade sadia, mesmo quando ela está fraca.


🔄É ter o privilégio de educar seus filhos no caminho certo, no caminho de Cristo e ter um companheiro do lado tão capacitado para isto quanto qualquer outro e que a apoia quando está fraca.


✖️É ter que se mudar para cidades que não conhece ninguém, para apoiar seu esposo no seu chamado de cuidar de ovelhas, e não poucas vezes, de ovelhas rebeldes...


🔄É ter o privilégio de conhecer diferentes culturas, cidades e pessoas. É se mudar para um lugar que não conhece ninguém, mas que todos ali sabem seu nome e te esperam ansiosamente.


✖️É sentir-se sozinha por não poder dividir as dores de ser esposa de Pastor.


🔄É poder dividir suas dores e seus lamentos com o homem que Deus escolheu para você e assim suportarem uns aos outros.


✖️É permanecer anônima diante desse desabafo, sem poder assinar o próprio texto para não por em risco o nome daquele que foi posto diante das ovelhas do Jesus.


🔄É ter a sabedoria de desabafar com quem irá te edificar, te escutar com atenção, seja o esposo, a mãe, uma amiga, uma psicóloga, e não sair reclamando aos 4 ventos como a igreja é opressora.


(Ninguém é obrigada a ser esposa de Pastor e não é todo mundo que recebe essa chamado, mas as que recebem devem pedir para Deus a capacitação necessária para agir conforme a Sua vontade).


É ter o privilégio de ser companheira de alguém que escolheu dedicar sua vida cuidando da fé que salva as pessoas.


**

Eu já fui a ovelha rebelde (não que hoje eu seja a inteiramente santa) que dá cabeçadas nas outras esposas achando que estava as "empoderando" a não serem oprimidas por ninguém. Eu vivi essa rebeldia durante 6 anos, os 6 anos que acompanhei meu esposo no Seminário em sua preparação para o ministério. Essa rebeldia só me trouxe tristeza, amargura e revolta. Eu focava tanto nas coisas ruins que as boas desapareciam. Pela graça de Deus, neste primeiro ano de ministério do Matheus, pude sentir que as coisas não são bem assim. Deus me mostrou através de pessoas, estudos, livros e Sua Palavra que esse tipo de pensamento é destrutivo e perigoso, e que pode, sim, ser um fator para desestruturar a família pastoral.


O feminismo quer mostrar o quanto ser mulher é ruim, é ser oprimida. Ele afeta todas as vocações da mulher: natureza feminina, casamento, maternidade, administração do lar, santidade, cristandade e vida profissional. "Nada está bom e nunca estará, pois você nasceu mulher". Mas as coisas não são bem assim e precisamos estar firmes em Cristo e pedir que Ele abra nossos olhos para saber discernir os discursos.


Dedico a você, esposa de Pastor (e futura esposa de Pastor). Que nesta semana de ação de graças, sejamos gratas e enxerguemos as coisas boas que vêm de Deus.





Pâmella Ohnesorge Rauch

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo