Saudade

A etimologia da palavra saudade é solidão. Quando você sente saudade, é como se uma grande solidão invadisse cada espacinho do seu corpo. Saudade é como uma briga interna: de um lado existem sentimentos que teimam em ficar, eles mantêm aceso o amor pelo outro; do outro lado existe a triste realidade de um amor que já partiu, que não está mais presente. O ideal e o real são os pais da solidão, eu quero ter, ideal, mas não tenho mais, real. Saudade é um sentimento que te leva para o passado, para o externo. Já a solidão é algo mais interno, ela geralmente vem na forma do chamado vazio, uma sensação de intermináveis ausências no peito. A saudade é como um desabafo da solidão, é a voz dela, a solidão solta suas palavras por meio da saudade. Solidão é intimidade consigo próprio, já a saudade é partilhar o sentimento da solidão.

O tempo da pandemia está sendo o tempo da saudade, das boas lembranças das aglomerações: amigos, o bom papo na frente de casa; uma chegadinha no bar depois do serviço com o amigo do peito; familiares juntos; sair de casa para passear, etc. Quanta saudade! Quanta solidão, elas não diminuem mesmo estando diante do computador ou no celular por horas. Sim, leitores, solidão e saudade são provas cabais de que o ser humano é um ser social, ele precisa do outro. A saudade é a parte da frente do sentimento, a solidão é o fundo. A saudade é o rosto da solidão, ela usa o rosto da pessoa para mostrar sua identidade: seus contornos, rugas e olhos marejados.

A saudade é você ter tido alguém especial, como eu falei anteriormente, ela volta seu olhar para o passado. Já a solidão é o desejo de ter alguém, ela aponta para o futuro. Nossa rotina, devido à pandemia, está por entre a saudade e solidão. Olhamos atentos para o que já foi, mas queremos algo mais do futuro. É, leitor, saudade e solidão é um mexer contínuo no tempo, aliás, o tempo ajuda o indivíduo a compreender sobre elas. Porque elas estão intimamente ligadas com o tempo, elas deixam o mesmo mais devagar, mas o coração fica mais acelerado. É uma situação paradoxal, enfim, saudade é como uma janela onde o homem olha com os olhos da solidão. Entretanto como é bom saber que Jesus está conosco em ambas as palavras, porque Ele é o próprio Deus, Cristo Jesus.




Rev Artur Charczuk


18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo