Realidades corriqueiras!


Há fatos que se tornam repetitivos todos os dias: comer, beber, dormir, trabalhar. Nessa sucessão rotineira em muitas situações melhoramos o cardápio, a bebida, reparamos o sono, realizamos melhorias no trabalho.


O sábio Salomão disse que o tempo se dá entre o nascer e o morrer (Ec 3.2). Nessa sucessão rotineira há fatos tristes e alegres. E entre os fatos corriqueiros, há fato ocorre apenas uma vez na vida de cada indivíduo: a morte.


A morte coloca um ponto final nas coisas do aqui e agora. O autor da carta aos Hebreus destaca que após isso, haverá só o juízo. Entre os muitos lugares frequentados durante nossa vida, após a morte todos iremos comparecer diante do tribunal de Deus.


Na morte, não seremos nós que iremos fazer um balanço. Deus fará o balanço da nossa vida, da fé e das obras (Ap 14.13).


O autor a carta aos Hebreus deseja destacar a obra de Jesus. Jesus Cristo ocupa lugar central em todos os capítulos da carta aos Hebreus. Jesus é o grande sacerdote, é maior que o sacerdócio do antigo testamento. Jesus Cristo é o mediador da nova aliança entre Deus e os seres humanos. Jesus Cristo é o sacrifício oferecido a Deus.


O autor a carta aos Hebreus, assim como o profeta Isaías, destaca que o sacrifício de Jesus Cristo vale para todos (Is 53.12; Hb 9.28). Jesus sofreu e morreu por todos os pecadores.


“Assim também Cristo foi oferecido uma só vez em sacrifício, para tirar os pecados de muitas pessoas. Depois ele aparecerá pela segunda vez, não para tirar pecados, mas para salvar as pessoas que estão esperando por ele” (Hb 9.28).


O autor a carta aos Hebreus e o profeta Isaías (Is 53.12) destacam que Jesus Cristo veio “tirar os pecados” – alforriar escravos. Fomos comprados (1Co 6.20; 1Pe 1.19) pelo sangue de Cristo não para sermos oprimidos, mas para sermos livres (Gl 5.13).


Comemos, bebemos, dormimos, trabalhamos. É possível mudar o que comemos, bebemos a forma como trabalhamos. No entanto, a morte e só uma. É preciso preocupar-se com essa realidade. Não tenho certeza que irei morrer, pode ser que Jesus volte antes (1Ts 4.16-17). Mas, muitas pessoas irão morrer, pode ser que eu também morra. E dai?


Deus em sua Palavra anuncia que o salário do pecado é a morte (Rm 6.23). No entanto, a história não termina aí. A Palavra de Deus anuncia que há vida após a morte. É a realidade eterna tem dois destinos: vida eterna ou morte eterna (Jo 3.16). Como escreveu o apostolo Paulo: “Assim, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus” (Rm 14.12). Quem morrer em Cristo tem a vida eterna. Todavia, para morrer em Cristo é preciso estar vivendo em Cristo.


Comemos, bebemos, dormimos, trabalhamos. É possível mudar o que comemos, bebemos a forma como trabalhamos. No entanto, a morte e só uma e após a mesma iremos comparecer diante do tribunal de Deus e será tão somente em Cristo, receberemos a coroa da vida eterna (Ap 2.10). Amém





Rev. Edson Ronaldo Tressmann

10 visualizações0 comentário