Natureza fora do compasso


Os extremos estão bem diante de nossos olhos. E não falo de política ou opinião sobre vacinas. Falo do clima. O excesso de chuvas destruindo parte do sudeste e norte do país. Vidas, casas e bens sucumbindo debaixo d´água. E, aqui no sul do Brasil, mais um verão de seca. O terceiro, em sequência. Lavouras, campos e vidas sucumbindo por mais uma estiagem severa. De um lado, rios transbordantes, demonstrando a fúria e a força da natureza. Do outro lado, rios à míngua, quase possíveis de se atravessar a pé, sem se molhar. Sem falar da terrível onda histórica de calor que assola, nesta semana, o Cone Sul da nossa América Latina.

 

Chamar a atenção para estes extremos no clima não é querer ser um profeta do terrorismo. A ideia não é dizer que isto nunca aconteceu e que agora sim, o fim dos tempos é evidente. O clima é cíclico. Há tempo de normalidade. Há tempo de extremos. Gerações passadas já testemunharam enchentes e secas parecidas com as que hoje vivenciamos. Há tempos que a natureza está descompassada. Não é de hoje que a criação sofre, bem diante de nossos olhos.

 

Em Romanos 8.22-23 está escrito o seguinte: “porque sabemos que toda a criação a um só tempo geme e suporta angústias até agora. E não somente ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, igualmente gememos em nosso íntimo, aguardando a adoção de filhos, a redenção do nosso corpo”. Engana-se que o pecado de Adão e Eva, lá no Éden, arruinou apenas o ser humano. Aquele pecado trouxe morte a toda a criação. O universo foi arruinado. Tudo ficou fora do compasso. Desde o Éden, a natureza geme e clama. Bem diante de nossos olhos. E nós somos envolvidos neste ritmo descompassado de sofrimento.

 

Tudo isso só nos faz pedir ainda mais: vem, Senhor Jesus! Traga restauração à criação que geme e sofre. Traga alívio para esta natureza fora do compasso. Traga salvação ao seu povo. Traga a feliz ressurreição dos que já dormem. Vem, Senhor Jesus! Em arrependimento e fé no Salvador, aguardamos o novo céu e nova terra que Apocalipse 21 nos retrata.

 

Então fica a dica: diante de tamanho descompasso de tragédias, enxurradas, secas e ondas infindáveis de covid, clamemos: Vem, Senhor Jesus! Traga restauração à criação e às nossas vidas. No novo céu e nova terra, tudo estará no compasso perfeito. Vem, Senhor Jesus!



 

Pastor Bruno Serves

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo