Jesus Ressuscitou!


Naquela primeira páscoa, a pedra removida, os lençóis, pareciam indicar que algo extraordinário aconteceu. O anjo anunciou o fato anômalo: Jesus ressuscitou (Mc 16.6).

Diante dessa boa, extraordinária e incomum notícia, o conselho dos anciãos não terem como contestar, deram uma grande soma de dinheiro para espalhar e divulgar uma mentira (Mt 28.11-12). Uma mentira que até hoje para muitos é verdadeira. Há quem duvide da ressurreição de Cristo.


A igreja é tida como cristã por compartilhar a verdadeira e única mensagem: Jesus Ressuscitou!


Dentro do sepulcro, o anjo deu uma notícia de primeira mão para Maria Madalena e Maria, a mãe de Tiago e Salomé: “Não se assustem! Sei que vocês estão procurando Jesus de Nazaré, que foi crucificado; mas ele não está aqui, pois já foi ressuscitado. Vejam o lugar onde ele foi posto” (Mc 16.6).


Jesus Ressuscitou!


Desde aquela primeira páscoa, muitos tentaram e continuam ofuscando a beleza e a certeza da ressurreição. O mundo científico e tecnológico exige coisas concretas, palpáveis e racionais para fazer algo ser verdadeiro. A ressurreição de Jesus não atende esses critérios racionais e por isso, tornou-se para milhares de pessoas uma mentira.


Jesus Ressuscitou!


A mensagem da ressurreição foi anunciada por um anjo (Mc 16.1-8) à Maria Madalena que a proclamou aos discípulos, e esses não acreditaram (Mc 16.10-11).


Quem era Maria Madalena? Essa mulher se tornou seguidora de Cristo mesmo em meio a preconceito que sofria por sua vida antes de ter conhecido a Cristo.


Enquanto as mulheres anunciavam aos discípulos a verdade de que Cristo ressuscitou, a mentira de que o corpo de Jesus havia sido roubado estava se espalhando. E desde aquele dia há essa oposição. Enquanto alguns pregam a mensagem da ressurreição, outros espalham a mentira de que não há ressurreição.


A favor dos discípulos naquele domingo havia somente algumas manifestações da ressurreição. A pedra do túmulo removida e vazio, os lençóis, a aparição de Jesus à Maria Madalena e durante a tarde a aparição de Jesus aos discípulos. No entanto, o que pesava contra os mensageiros era a má fama de Maria Madalena e dos discípulos. Nesse sentido precisamos analisar o texto de Marcos 16.1 - 8 como sendo um relato diferente da páscoa. Há o anuncio e alguns sinais. Assim sendo, é necessário observe um detalhe: a páscoa só é páscoa devido ao anuncio. O anjo proclamou para as mulheres: “Não vos atemorizeis; buscai a Jesus, o nazareno, que foi crucificado; ele ressuscitou, não está mais aqui; ...” (Mc 16.6).


Não há nada comparado àquela manhã de domingo da ressurreição. Nem a travessia pelo mar vermelho (Ex 14.15-20), nem a travessia pelo rio Jordão (Js 3.17), nem o dia em o sol e a lua pararam (Js 10.13), nem a queda das muralhas de Jericó (Js 6.12-21).


Por maiores que tenham sido os feitos apresentados no Antigo Testamento, nada é similar ao domingo da ressurreição. A Páscoa é o dia mais importante do ano.


A importância está no anuncio da mensagem: Jesus Ressuscitou.


Páscoa não é apenas um dia de banquetes, um domingo de festa. É o dia especial entre os muitos dias especiais.


Jesus Ressuscitou!


É preciso anunciar e compartilhar a mensagem da páscoa, mesmo que infelizmente muitos não irão acreditar.


Lembre-se:


- num primeiro momento os discípulos também não creram, mas, quando creram, se tornaram testemunhas fiéis e a mensagem da páscoa chegou até nossos dias.


- Sem o anúncio por parte das testemunhas não haveria páscoa em nossos dias e essa mensagem teria sido perdida. E isso serve de estímulo para continuarmos sendo testemunhas da ressurreição.


Você não está sozinho nesse anúncio. As Escrituras falam sobre a páscoa. Davi a profetizou no Salmo 16.8-10; Jó a proclamou (Jó 19.25-26); e o próprio Jesus falou sobre sua ressurreição (Mt 16. 21; Jo 2.19).


Sem o anúncio por parte das testemunhas que somos nós, para muitos continuará não havendo páscoa.


Diferentemente de muitos outros religiosos: Buda, Zoroastro, Confúcio, Maomé, o único a ressuscitar foi Jesus ressuscitou! Ele vive!


O mundo continua querendo provas da ressurreição. Sem essas provas racionais, a páscoa continua sendo fake news. O mundo continua negando a ressurreição. Apesar disso, conforme narrado por João Marcos, é necessário e urgente continuar anunciando a páscoa.


O domingo da páscoa é o domingo dos domingos. Sem esse domingo não haveria cristianismo. E o cristianismo permanece por causa dos proclamadores, das testemunhas. Testemunhas como Pedro que num momento negou. Testemunhas como Maria Madalena que teve um passado pecaminoso. Testemunhas anônimas como Nicodemos e José de Arimatéia. E devido a essas e tantas outras testemunhas que não se calaram e proclamaram a mensagem da ressurreição estamos aqui reunidos.


Para o apostolo João, preso na ilha de Patmos, o próprio Jesus proclamou: “Eu sou o primeiro e o último, e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos” (Apocalipse 1.17-18). Amém!





Rev. Edson Ronaldo Tressmann

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo