Hosana!

Conta-se a história que, logo após o culto, um menino perguntou aos seus pais: “Quem é esta tal de Rosana? Ela deve ser uma mulher muito importante”. Os pais, sem saber ao certo do que se tratava o assunto, logo receberam o motivo da pergunta: “É que nos cultos todos cantam ‘Rosana nas alturas!”. Após uma boa gargalhada, os pais explicaram ao filho que o canto litúrgico não era “Rosana nas alturas”, mas “Hosana nas alturas”.


Estamos caminhando para mais um domingo de ramos, mais uma vez sob o tom da pandemia. E é justamente neste domingo que a igreja cristã tem em seus lábios, de forma muito especial, o termo “hosana”. Este é um termo que tem sua origem na língua hebraica e significa “salva-nos”. Foi com este “hosana” que, com ramos nas mãos e louvores a Deus, Jesus foi saudado em sua chegada a Jerusalém. A partir daí, conhecemos bem a história da semana santa.


Hosana! Salva-nos, Senhor! Ainda hoje o povo de Deus carrega nos lábios este clamor. E, nas mãos, ao invés de ramos, o que temos hoje são ansiedades, crises, hospitais lotados, um país em convulsão social, moral e política. Com este coquetel em mãos, clamamos: Salva-nos, Senhor. E, quem sabe, este também tenha sido o pedido de tantos que, positivados para Covid-19, clamaram e ainda clamam não acompanhados de uma multidão, como na antiga Jerusalém, mas em isolamento dentro de casa e até mesmo em um leito solitário de hospital.


Aquele que chegou em Jerusalém montado em jumentinho foi erguido na cruz, de forma humilhante e debochada. Ali estava o tal “Rei dos Judeus”, executado com bandidos. Isto deveria ter sido um escândalo para tantos que gritavam “hosana” no domingo de ramos, esperando que Jesus fosse salvá-los da opressão romana e decretar o céu na terra, afastando-os de qualquer tipo de sofrimento. Mal sabiam que ali, naquela cruz ensanguentada, Deus estava respondendo ao grito de “hosana”.


Isto nos mostra que, mesmo que nossas mãos estejam tomadas de sofrimentos, Deus não deixou de responder ao nosso “hosana”. Aqueles que já estão salvos, mediante a fé em Cristo, não estão imunes à Covid-19 ou a qualquer outra enfermidade. Cristãos também adoecem, choram, têm dúvidas, perdem, morrem. Porém nenhum fardo de sofrimento será capaz de nos tirar a reposta definitiva e plena de Deus ao nosso “hosana”: a vida eterna mediante a fé em Cristo.


Então fica a dica: “salva-nos, ó Senhor, salva-nos” (Salmo 118.25). Eis nosso clamor. Hosana ao Filho de Davi.




Pastor Bruno Serves

35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo