top of page
Mulher orando

Mensagens

Ele tem poder


Duas multidões. Dois grupos indo em direções opostas. Duas procissões contrastantes. De um lado, uma multidão vibrante que havia presenciado alguns milagres de Jesus e O acompanhavam. Era como se estivessem em plena primavera. Do outro, o cortejo fúnebre do jovem filho único de uma viúva. Não sabemos o nome dele, sua idade, nem o motivo da morte. Pela quantidade de pessoas que acompanhavam o cortejo, tanto o filho como a viúva deviam ser pessoas apreciadas em Naim.


O natural seria que a multidão que ia com Jesus se colocasse ao lado para que o cortejo fúnebre passasse. O que a multidão triste não sabia é que estava se aproximando do Doador da vida. Tenho certeza de que se eles soubessem que era Jesus que estava à frente do outro grupo, teriam enviado um recado para Ele. Mas não há nenhum registro de que nem mesmo dos lábios da mãe, que estava à frente do esquife, tenha saído algum pedido. O único apelo era o do coração de mãe. Assim, Jesus tomou a iniciativa de ir ao encontro dela e disse: “Não chore pelo seu filho. Vou trazê-lo de volta à vida.” Isso mostra que mesmo diante de dor incrível, Jesus tem a solução. Era o coração dEle mostrando simpatia e compaixão pela mãe que tinha perdido o filho único.


Jesus Se sente atraído por aqueles que estão tristes e com o coração quebrantado. Ele conhece nossa dor, nossas necessidades, nosso desamparo; e ninguém está mais disposto a nos ajudar quando estamos em problemas do que Jesus.


Jesus falou seis palavras que mudaram a situação: “Jovem, eu lhe digo, levante-se!” (Lc 7:14). Naquele momento, estava se cumprindo Sua palavra: “Aquele que crê em Mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em Mim, não morrerá eternamente” (Jo 11:25,26).


Depois de Jesus o haver ressuscitado, sua feição estava corada, cheia de vida. Mãe e filho se uniram num abraço. Foi um momento de graça para ambos. “A procissão fúnebre volveu a Naim como um cortejo triunfal. […] Sua palavra [de Jesus], que chama os mortos à vida, não é de maneira nenhuma hoje menos eficaz do que ao dirigir-se ao jovem de Naim. […] Esse poder não diminui pelo espaço dos anos, nem se esgota pela incessante atividade de Sua excessiva graça. A todos quantos creem, continua a ser um Salvador vivo” (O Desejado de Todas as Nações, p. 319).


Reflita sobre isso no dia de hoje e ore comigo agora:


Obrigado, Pai, por conheceres as nossas dores e os nossos sofrimentos. Obrigado por enxugares as nossas lágrimas e pela certeza da ressurreição. Em nome de Jesus, amém!





Pr. Amilton Menezes

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Não recue

Comentarios


bottom of page