Buscar
  • PENSE NISSO Teológica

Desejos maus

Os desejos das pessoas são como o mundo dos mortos: sempre há lugar para mais um. (Provérbios 27.20)


Primeiro: não sou contra as tecnologias, como internet, tv, celular, etc… Tenho desde e-mail a twitter e este (entre outros) blog, tudo numa tentativa de usar para o bem, uma (0u várias) ferramentas tão preciosas que temos para divulgar o Evangelho de Jesus Cristo.


Mas boa parte desta mídia toda sobre vive dos maus desejos das pessoas. São homens seminus dançando num programa de sábado à tarde. Mulheres mostrando-se completamente, na contra-mão daquelas pioneiras que queriam tirar da mulher a marca de objeto.


E Salomão foi afetado pela situação do próprio texto que escreve, pois para saciar seus desejos, seja de poder ou seja de luxúria, ele se envolveu e casou-se com centenas de mulheres, contaminando seu reino com a idolatria de suas esposas. Ele sabia bem que sempre cabe um desejo ruim a mais diante dos olhos das pessoas. E se nossos olhos são maus, só vemos maldade. Só desejamos maldades. Então casamentos acabam, porque “me apaixonei perdidamente por outra”. Famílias são destruídas, porque “a cocaína me faz fazer coisas incríveis”. E os cinco minutos de fama são buscados diante de uma nação de estúpidos telespectadores, que não têm capacidade para escolher programas bons para si e para suas famílias. A tv, o computador e o nosso corpo são, em si, coisas boas, mas quando usados para o pecado, são um mar de perdição.


Muitas vezes queremos que o inimigo não entre na nossa casa, mas ele entrou e faz morada. Ali, na posição central: aparecendo no monitor que incita ao pecado, à traição, à fofoca, ao dinheiro fácil e tantas outras coisas. Mas não precisamos quebrar nossas tvs ou computadores. Vamos usar pro bem. Usar para levar a Palavra de Jesus. Este sim, torna nossos desejos bons. Que o Senhor abençoe a todos.




Rev. Jarbas Hoffimann

8 visualizações
 

Receba Mensagens Cristãs Diariamente no Whatsapp. Adicione e peça (53) 99901-4822

© 2020 by pensenissoteologica.com. Todos os direitos reservados