Comida e bebida de salvação


Evangelho de João 6.51-69


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Queridos irmãos em Cristo Jesus Cristo.


Que a Paz esteja com vocês. Amém.


No evangelho de hoje Jesus está terminando sua pregação sobre o pão da vida. Ele usa a multiplicação de pães para mostrar que mais importante que o pão terreno é o pão celestial.


Precisamos do pão físico. Se não comermos vamos morrer. Por outro lado, precisamos do pão da vida, que é Jesus Cristo, pois ele nos dá a vida eterna.


Falando em pão, fiquei surpreso quando descobri que quase 70% da população brasileira gosta de encontrar-se em padarias. Perto daqueles pães e doces maravilhosos. Que enchem primeiro os olhos, depois o estômago.


Quando Jesus se comparou ao pão ele sabia muito bem da importância deste alimento tão simples.


Nesta última parte do texto do evangelho, Jesus fala de seu corpo e sangue. Ele fala da Santa Ceia. E na Ceia Jesus é nossa comida e bebida.


Mas como os judeus que estavam ouvindo Jesus em Cafarnaum, muitas pessoas vão perguntar: “– Como é que este homem pode dar a sua própria carne para a gente comer?” (Jo 6.52).


Pessoas como estas esquecem que a sabedoria de Deus é loucura para os seres humanos. Afinal, que loucura incomparável foi aceitar o sacrifício de seu próprio filho, para salvar a vida de pecadores indignos! E mais do que isso: Deus não apenas aceitou o sacrifício de Jesus, mas foi ele mesmo que prometeu e enviou Jesus para dar a Salvação a todos que crerem nele.


Então as próprias pessoas que estavam ouvindo Jesus naquele dia, disseram: “– O que ele ensina é muito difícil! Quem pode aceitar esses ensinamentos?” (Jo 6.60).


Apenas aqueles que são de realmente de Deus...


Infelizmente a Santa Ceia também foi cercada de confusão e interpretações falsas.


Mas existem basicamente três ensinos a respeito da Santa Ceia:


Transubstanciação, representação e presença real.


A transubstanciação ensina que o pão se transforma em corpo e o vinho se transforma em sangue. Este é o ensino católico.


A representação ensina que o pão e o vinho são simplesmente representações do corpo e sangue de Jesus, e o comungante recebe apenas pão e vinho. Este é o ensino de igrejas Reformadas, que surgiram com João Calvino e seus seguidores. (Igreja Anglicana, Igreja Presbiteriana, Igreja Episcopal, Igreja Batista, entre outras).


E a Presença Real ensina que junto com o pão e o vinho (consagrados no momento da Santa Ceia), o crente recebe corpo e sangue de Jesus para perdão dos pecados e fortalecimento da fé.


Destas três formas de ver a Santa Ceia, a única que pode ser comprovada na escritura é a presença real.


A Bíblia não diz que o pão vira corpo e o vinho vira sangue, mesmo assim, são corpo e sangue.


Na Bíblia, o próprio Jesus fala do comer e beber de seu corpo, e não diz isto representa o meu corpo, mas diz: isto é o meu corpo.


O Salvador diz com todas as letras:


“– Eu afirmo a vocês que isto é verdade: se vocês não comerem a carne do Filho do Homem e não beberem o seu sangue, vocês não terão vida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é a comida verdadeira, e o meu sangue é a bebida verdadeira. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue vive em mim, e eu vivo nele.” (Jo 6.53-55).


Também, o apóstolo Paulo, ao escrever pros coríntios afirma:


“Pensem no cálice pelo qual damos graças a Deus na Ceia do Senhor. Será que, quando bebemos desse cálice, não estamos tomando parte no sangue de Cristo? E, quando partimos e comemos o pão, não estamos tomando parte no corpo de Cristo?” (1Co 10.16).


Paulo fala do cálice e sangue e também do pão e corpo.


Então, sendo fiéis à Palavra de Deus, temos que saber que ao comer o pão e o vinho na Santa Ceia, também estamos recebendo o corpo e sangue de Jesus Cristo. Como também afirmam nossas confissões luteranas:


“Cremos, ensinamos e confessamos que o corpo e o sangue de Cristo são recebidos, em virtude da união sacramental, com o pão e o vinho não só espiritualmente, pela fé, mas também oralmente, ... de maneira sobrenatural, celeste, segundo mostram claramente as palavras de Cristo, quando ordena tomar, comer e beber, como fizeram os apóstolos, pois está escrito: “E todos beberam dele”. (Mc 14.23). Da mesma forma diz São Paulo: “O pão que partimos, não é a comunhão do corpo de Cristo?” (1Co 10.16). Isto é, quem come esse pão, come o corpo de Cristo, o que também testificam, unânimes, os mais eminentes dentre os mestres antigos da igreja: Crisóstomo, Cipriano, Leão I, Gregório, Ambrósio, Agostinho.” (FC, Ep VII, 15).


Nossas confissões citam os Pais da igreja, para lembrar que o ensino sobre a presença real era unânime no início da igreja cristã.


Ao participar da Santa Ceia recebemos pão e vinho, mas junto com eles o corpo e o sangue de Jesus. Que são comida e bebida para nossa salvação.


Por isso é tão importante participar da Santa Ceia sempre. E também por isso é tão importante estar preparado.


Mas quem está realmente preparado para participar da Santa Ceia? Nosso catecismo menor responde:


“Verdadeiramente digno e bem preparado é aquele que tem fé nestas palavras: “Dado em favor de vós” e “derramado para a remissão dos pecados”. Aquele, porém, que não crê nessas palavras ou delas duvida, é indigno e não está preparado, pois as palavras “por vós” exigem corações verdadeiramente crentes.” (CMe, VI. 10)


Pela fé em Cristo todos estamos prontos para a Santa Ceia. E na Santa Ceia recebemos o perdão, vida eterna e Salvação.


O Sacramento do altar deve ser buscado por nós com toda a reverência e amor. Pois é um gesto de amor de Deus para conosco. A Santa Ceia é o Cristo palpável, para ser comido e bebido pelos crentes para fortalecimento da fé e perdão dos pecados.


Mas cabe ainda uma última recomendação: não participemos despreparados! Pois isso traz a ira de Deus.


Jesus nos dá tudo: deu-nos a fé, a salvação, a santa ceia, o perdão dos pecados, a vida eterna e muito mais. Temos tudo, então porque participaríamos despreparados: orgulho? Impenitência?


Preparar-se não é jejuar ou coisas semelhantes.


Para saber se estamos preparados podemos nos fazer as seguintes perguntas:


1. Eu entendo e creio nas palavras da instituição, sabendo que com o pão e o vinho recebo o corpo e sangue de Jesus?


2. Eu reconheço que sou pecador e estou arrependido destes pecados?


3. Eu sei o que Jesus fez por mim e desejo o perdão do Senhor, como ele prometeu?


4. Eu estou disposto a melhorar minha vida e apresentar os frutos do arrependimento diante do Senhor? Como lembra Mateus 3.8: “Façam coisas que mostrem que vocês se arrependeram dos seus pecados.”


Procurar estar preparado, não quer dizer que a Santa Ceia depende de nós. Seu poder e sua eficácia vêm do Senhor. Mas quem participa indigno bebe a ira de Deus sobre si. E isso, ninguém, em sã consciência, deveria querer.


A Santa Ceia é Jesus vindo a nós como alimento de Salvação. No que depender de nós, que sempre estejamos preparados para participar. Se briguei com alguém, que eu peça perdão e se outros me ofenderam, que eu perdoe. Se algo me impede de participar da Santa Ceia, Jesus ajuda a remover os obstáculos, para novamente poder receber este maravilhoso dom da salvação.


Jesus é a nossa comida e bebida para a vida eterna. Todos os que comerem do seu corpo e beberem do seu sangue tem a vida eterna. Palavra do Senhor. Amém.


E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. Amém. (Fp 4.7)





Pastor Jarbas Hoffimann

62 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo