Comida e bebida de salvação


Evangelho de João 6.51-69


Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês! (2Co 13.13).


Queridos irmãos em Cristo Jesus Cristo.


Que a Paz esteja com vocês. Amém.


No evangelho de hoje Jesus está terminando sua pregação sobre o pão da vida. Ele usa a multiplicação de pães para mostrar que mais importante que o pão terreno é o pão celestial.


Precisamos do pão físico. Se não comermos vamos morrer. Por outro lado, precisamos do pão da vida, que é Jesus Cristo, pois ele nos dá a vida eterna.


Falando em pão, fiquei surpreso quando descobri que quase 70% da população brasileira gosta de encontrar-se em padarias. Perto daqueles pães e doces maravilhosos. Que enchem primeiro os olhos, depois o estômago.


Quando Jesus se comparou ao pão ele sabia muito bem da importância deste alimento tão simples.


Nesta última parte do texto do evangelho, Jesus fala de seu corpo e sangue. Ele fala da Santa Ceia. E na Ceia Jesus é nossa comida e bebida.


Mas como os judeus que estavam ouvindo Jesus em Cafarnaum, muitas pessoas vão perguntar: “– Como é que este homem pode dar a sua própria carne para a gente comer?” (Jo 6.52).


Pessoas como estas esquecem que a sabedoria de Deus é loucura para os seres humanos. Afinal, que loucura incomparável foi aceitar o sacrifício de seu próprio filho, para salvar a vida de pecadores indignos! E mais do que isso: Deus não apenas aceitou o sacrifício de Jesus, mas foi ele mesmo que prometeu e enviou Jesus para dar a Salvação a todos que crerem nele.


Então as próprias pessoas que estavam ouvindo Jesus naquele dia, disseram: “– O que ele ensina é muito difícil! Quem pode aceitar esses ensinamentos?” (Jo 6.60).


Apenas aqueles que são de realmente de Deus...


Infelizmente a Santa Ceia também foi cercada de confusão e interpretações falsas.


Mas existem basicamente três ensinos a respeito da Santa Ceia:


Transubstanciação, representação e presença real.


A transubstanciação ensina que o pão se transforma em corpo e o vinho se transforma em sangue. Este é o ensino católico.


A representação ensina que o pão e o vinho são simplesmente representações do corpo e sangue de Jesus, e o comungante recebe apenas pão e vinho. Este é o ensino de igrejas Reformadas, que surgiram com João Calvino e seus seguidores. (Igreja Anglicana, Igreja Presbiteriana, Igreja Episcopal, Igreja Batista, entre outras).


E a Presença Real ensina que junto com o pão e o vinho (consagrados no momento da Santa Ceia), o crente recebe corpo e sangue de Jesus para perdão dos pecados e fortalecimento da fé.


Destas três formas de ver a Santa Ceia, a única que pode ser comprovada na escritura é a presença real.


A Bíblia não diz que o pão vira corpo e o vinho vira sangue, mesmo assim, são corpo e sangue.


Na Bíblia, o próprio Jesus fala do comer e beber de seu corpo, e não diz isto representa o meu corpo, mas diz: isto é o meu corpo.


O Salvador diz com todas as letras:


“– Eu afirmo a vocês que isto é verdade: se vocês não comerem a carne do Filho do Homem e não beberem o seu sangue, vocês não terão vida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a