Ainda temos a Palavra da verdade!


Algumas áreas da ciência e temas de estudos são inesgotáveis. Observo os arqueólogos e geólogos que constantemente trazem das profundezas da terra esqueletos de pessoas, animais e trazem com isso uma série de perguntas investigativas. Acompanhamos pela TV o ser humano subindo e descendo para o espaço. O objetivo dessas idas e vindas são responder questões que ainda não foram completamente compreendidas.


Seja qual for o objeto de estudo, acredito que jamais haverá um estudioso que chegará a conclusão: eu não tenho mais nada a aprender, sou conhecedor de tudo.


Mesmo que alguém conheça todos os assuntos, domine várias áreas de conhecimento, há um assunto que sempre haverá discórdias, discussões e parece não haver conclusão: Deus. Qual será o motivo disso? Deus não cabe na nossa razão limitada. A velha questão envolvendo Deus se dá no campo da razão versus a fé. Queremos entender Deus por nossa razão limitada. O apostolo Paulo escreveu: “E a paz de Deus, que ninguém consegue entender,...” (Fp 4.7) e aos coríntios: “... o que poderão dizer os sábios e instruídos? O que vão dizer os grandes oradores deste mundo? Deus tem mostrado que a sabedoria deste mundo é loucura” (1Co 1.20) e pelo profeta, Deus disse: “Eu não deixo que se cumpram as mensagens de profetas mentirosos e faço com que os adivinhos fiquem parecendo tolos. Faço com que os sábios se enganem e transformo toda sua sabedoria em tolice” (Is 44.25). A sabedoria de Deus se apresenta na cruz, em seu Filho Jesus. Essa sabedoria de Deus continua sendo loucura para esse mundo a ponto de fazer com que essa mensagem seja ignorada.


“Por sua própria vontade ele fez com que nós nascêssemos, por meio da palavra da verdade, a fim de ocuparmos o primeiro lugar entre todas as suas criaturas” (Tg 1.18).


Deus nos faz nascer espiritualmente pela sua Palavra. Nicodemos imaginou que teria que nascer do ventre da sua mãe novamente (Jo 3.4-7). No entanto, o novo nascimento é obra de Deus, pelo poder do Espírito Santo. Não depende da vontade humana (Jo 1.13) nem da nossa participação (Jo 3.6). Não nascemos de novo por causa da nossa decisão ou religiosidade. O novo nascimento é obra de Deus pela Palavra da verdade.


A BBC News publicou um artigo na madrugada de domingo para segunda (09/05/22) destacando que os jovens sem religião superam católicos e evangélicos em São Paulo e Rio de Janeiro.


O censo enfatiza o aumento do número dos sem religião desde 1960.


Ano 1960: os sem religião era 0,5%


Ano 1970: os sem religião era 0.8%


Ano de 1980: os sem religião era 1.6%


Ano de 1991: os sem religião era de 4,8%


Ano de 2000: os sem religião era de 7,3%


Ano de 2010: os sem religião era de 8,0%


Ano de 2022: os sem religião são 14%. E, entre os jovens de 16 a 24 anos, 25% se dizem sem religião. Isso mostra que será uma década muito difícil para levar a palavra da verdade, a que faz nascer de novo, para os jovens, pois o aumento do número de pessoas sem religião pode chegar a praticamente 30% da população.


O que está acontecendo? Será que a religião está equivocada? Ou a Palavra da verdade não é mais verdade?


Pelo contexto urbano e social podem-se elencar alguns fatores.


O ateísmo (Deus não existe) e o agnosticismo (não há certeza se Deus existe ou não) são os grandes responsáveis. Outro fator é a rejeição as instituições, Estado, Família, Politica e igreja.


Ateísmo, agnosticismo e desprezo as instituições aumentam cada vez mais por que há um grande incentivo e trajetória de busca e experimentação que é colocada para as novas gerações, o que não ocorria nas gerações anteriores. Essa busca e experimentação ocorrem dentro de casa, na cama dos nossos filhos, pois um simples aparelho é uma janela aberta para o mundo.


Os jovens têm redes de sociabilidade muito diversas, diferentemente dos idosos, cuja sociabilidade está restrita à família e a igreja. O jovem está exposto a múltiplas fontes de informação, como colégios, universidades, redes sociais e veículos midiáticos. E isso influencia fortemente suas opiniões e convicções.


Outra fator para que os jovens se tornem sem igreja é a plurirreligiosidade, ou seja, uma prática diversa e imensa de crenças religiosas. O lar onde o jovem cresce é determinante. Há situações em que avó é mãe de santo, o pai católico não praticante, a mãe evangélica radical, e isso faz o jovem se desapega do tradicional e tende a buscar uma religiosidade própria. Como diz a estudiosa Regina Novaes: “O que está acontecendo são outros modos de ter fé”. Esses modos de fé podem salvar? “Pois o evangelho mostra como é que Deus nos aceita: é por meio da fé, do começo ao fim. Como dizem as Escrituras Sagradas: Viverá aquele que, por meio da fé, é aceito por Deus” (Rm 1.17). E para nos presentear essa fé, “pela sua própria vontade ele fez com que nós nascêssemos, por meio da palavra da verdade, a fim de ocuparmos o primeiro lugar entre todas as suas criaturas” (Tg 1.18).


Deus faz viver por meio da palavra da verdade. Essa palavra da verdade é Jesus que exclamou: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém pode chegar até o Pai a não ser por mim” (Jo 14.6). Ainda temos essa palavra da verdade. Somos aqueles que foram renascidos pela Palavra da verdade. Amém!




Rev. Edson Ronaldo Tressmann

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo