Uma palavra em dias de pós-isolamento!


“Não abandonemos, como alguns estão fazendo, o costume de assistir às nossas reuniões. Pelo contrário, animemos uns aos outros e ainda mais agora que vocês veem que o dia está chegando” (Hb 10.25).


O mundo viveu dias de isolamento social. Pessoas ficaram reclusas em suas casas e o que parecia ensinar sobre a importância da comunhão e parecia gerar saudade e desejo de estar junto novamente, infelizmente fez muitos se isolarem ainda mais.


É importante e fundamental a reunião dos crentes em Cristo para louvarem o Senhor. Essa importância é mostrada pelo próprio Deus em um de seus mandamentos, o terceiro.


Os primeiros cristãos entendiam a importância de estarem reunidos. A reunião não é apenas um evento social. O ato de congregar deve-se ao desejo de Deus em ter um encontro com seus filhos para oferecer a eles, seu perdão, sua graça e seu amor (At 2.46; 5.42).


Diante das restrições sanitárias, devido a pandemia, muitos diziam que estavam saudosos dos cultos presenciais. Muitas dessas pessoas parece terem se acostumado com a versão on line da igreja e da reunião. Não está errado assistir os cultos, no entanto, a comunhão, o contato olho no olho é muito importante e necessário. Enfatizo que o reunir-se não é apenas um evento social, é algo espiritual.


A igreja em Corinto (1Co 11.18) infelizmente passou a congregar-se para dissensões e debates e isso não estava edificando, apenas destruindo a comunhão.


A comunhão cristã é sim a composição de todos os creem, no entanto, os que creem se reúnem. O momento de comunhão com outros que creem não pode ser tido como secundário, ou sem necessidade e importância como se qualquer outro evento pudesse me afastar da reunião.


Se lermos atentamente os evangelhos é comum vermos Jesus semanalmente na sinagoga u no templo.


O salmista descreveu bem a importância da reunião da comunhão dos santos dizendo que “um dia na casa de Deus vala mais que mil em outro lugar” (Sl 84.10).


Em dias de acessibilidade é sabido e vívido que muitos não participam da reunião por esse motivo. Mas, a verdade é que muitos não têm desculpas para não participar da reunião.


O salmista escreveu: “...Quão bom e quão maravilhoso é, que os irmãos vivam em união” (Sl 133.1). Por isso, nesses tempos de pós-pandemia, vale dizer: “Não abandonemos, como alguns estão fazendo, o costume de assistir às nossas reuniões. Pelo contrário, animemos uns aos outros e ainda mais agora que vocês veem que o dia está chegando” (Hb 10.25).

Amém!




Rev. Edson Ronaldo Tressmann

9 visualizações0 comentário