O propósito de Deus é diferente

Atualizado: Out 1



Filipenses 1.12


Há coisas que acontecem nesta vida que nós nunca vamos compreender. Já há outras coisas que são bem claras que as compreendemos logo à primeira vista. Especialmente quando falamos sobre sofrimento, muitos se perguntam, por que eu estou sofrendo a tal ponto de quase não resistir? Por que os maus, parecem que sofrem menos do que eu? Por que muitos que não creem em Deus tem uma vida mais plena e próspera do que os cristãos? São perguntas que, acredito eu, cada cristão já deva ter feito em algum momento de sua vida.

O texto base para nossa mensagem Paulo está preso, já em sua velhice ele foi preso por ser um pregador do Evangelho de Cristo. E para a surpresa de muitos, ele não desanimou, mas afirmou: Meus irmãos, eu quero que vocês saibam que as coisas que me aconteceram ajudaram, de fato, o progresso do evangelho. Pois foi assim que toda a guarda do palácio do Governador e todas as outras pessoas daqui ficaram sabendo que estou na cadeia porque sou servo de Cristo. Fl 1.12-13

Para a surpresa de muitos, Paulo aproveitou a oportunidade e testemunhou a fé em Cristo na prisão. “Porque muitos ficaram sabendo que ele era servo de Cristo...” Será que nós teríamos esta visão?

O filósofo Liehtsê nos deixou a famosa parábola do Velho do Forte, na qual conta que “um velho vivia com seu filho em um forte abandonado, ao alto de um monte, e um dia perdeu um cavalo. Os vizinhos vieram-lhe expressar seu pesar por esse infortúnio, e o velho perguntou:

– Como sabeis que é má sorte?

Poucos dias mais tarde voltou seu cavalo com um bando de cavalos selvagens, e vieram os vizinhos felicitá-lo por sua boa sorte, e o velho respondeu:

– Como sabeis que é boa sorte?

Com tantas montarias a seu alcance, começou o filho a cavalgá-las, e um dia quebrou uma perna. Vieram os vizinhos apresentar-lhe condolências, e o velho respondeu:

– Como sabeis que é má sorte?

No ano seguinte houve uma guerra, e como o filho do velho era agora inválido, não teve de ir para a frente de combate.”

É muito comum reclamarmos, xingarmos e lamentarmos quando alguma coisa ruim acontece conosco. Focamos no negativo, e esquecemos que todo ponto negativo há um outro lado, o seu lado positivo. Mas o negativo chama mais a atenção, e nós focamos nele, e para mudar isso, precisa treinar a mente, pra sempre se perguntar: O que estou aprendendo com isso? O que Deus quer me mostrar? Qual a lição proveitosa tiro desta situação?

Toda a guarda do palácio, ficou sabendo que sou servo de Cristo... afirma Paulo, provavelmente não teria outro jeito deles saberem quem é Jesus se Deus não colocasse um sevo dele em meio a eles para lhes pregar a Jesus, o Salvador!

Eu não sei o que Deus tem feito contigo, aonde ele tem te levado, e até mesmo o que ele tem deixado você passar nesta Pandemia. Mas uma coisa eu sei, ele continua no controle de sua história, ele continua sendo teu Salvador. O próprio profeta Isaias teve desilusão em sua vida de profeta, chegou o momento que ele disse: “não adianta mais, ninguém quer me ouvir!”, mas Deus vem e diz a ele: “Os meus pensamentos não são como os seus pensamentos, e eu não ajo como vocês. Assim como os céus estão muito acima da terra, assim os meus pensamentos e as minhas ações estão muito acima dos seus.” Is 55.6-8-9.

Chega momentos em nossa vida que temos que entregar tudo o que nos perturba, aflige e causa medo em suas mãos, e deixar Deus ser Deus, ele ainda continua cuidando de nós, pois assim prometeu; Esta era a certeza que o salmista tinha ao escrever:

“O Senhor Deus é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo? O Senhor me livra de todo perigo; não ficarei com medo de ninguém. Quando os maus, os meus inimigos, me atacam e procuram me matar, são eles que tropeçam e caem. Ainda que um exército inteiro me cerque, não terei medo; ainda que os meus inimigos me ataquem, continuarei confiando em Deus. A Deus, o Senhor, pedi uma coisa, e o que eu quero é só isto: que ele me deixe viver na sua casa todos os dias da minha vida, para sentir, maravilhado, a sua bondade e pedir a sua orientação.” Sl 27.1-4. Amém.


Rev. Gabriel Boldt