O amor e fidelidade se encontrarão; a justiça e a paz se abraçarão (Sl 85.10).


Precisamos recordar que em cada momento o povo de Deus teve pregadores que lhes anunciaram a Palavra de Deus. No dia 24 de junho foi aniversário da IELB, 118 anos. Desses 118 anos de IELB, 68 anos em Querência do Norte, quantos pregadores nos foram enviados?


O povo de Deus, em todos os momentos da história, sempre necessitou de um pregador.


Na Bíblia há três livros (Neemias, Zacarias e Ageu) que nos anunciam a respeito do povo de Deus pós exilio Babilônico. O povo de Deus, que retornou para Jerusalém, lançou rapidamente as fundações do Templo. A reconstrução do templo durou cerca de 23 anos (possivelmente entre os anos de 520-515).


Para que o Templo fosse reconstruído foi necessária muita exortação profética, dízimo, ofertas e trabalhos.


O salmo 85 1.-3 destaca o povo que recebeu a bênção de retornar do cativeiro babilônico. O problema foi quando começaram a fracassar diante do trabalho de reconstrução. Fracasso esse decorrente da perseguição dos inimigos que os levou ao desânimo e desespero.


Deus enviou Neemias, resposta a oração do povo. Ele foi responsável: 1) - pela reconstrução dos muros; 2) – por reerguer a nação de maneira civil e espiritual.


A oração registrada nos versos 4 a 7 parece ser resposta da pregação do profeta Ageu que também havia sido enviado ao povo. Esse profeta repreendeu o povo por terem abandonado o trabalho no templo em favor das suas próprias casas. Deus não quer que abandonemos a nossa casa, mas, o fato era que o povo por causa de suas moradias estava negligenciando e negando dízimos e ofertas para Deus e manutenção do templo (Ag 1.2-11).


Qual desses é o nosso problema? Desânimo? Desespero? Cuidado extremado conosco mesmo?


O que está acontecendo a ponto de negligenciar o cuidado com a casa de Deus?


Começamos um projeto e, de repente esse projeto é abortado! A custa de que?


A pregação do profeta Ageu, a Palavra de Deus, restituiu o ânimo do povo, e os levou a ação (Ag 1.12-15).


O povo ficou convicto em seu coração de que haviam feito de seus problemas pessoais uma desculpa para negligenciar o Senhor (Sl 85.4-7) e agora suplicavam para que Deus os reanimasse. Deus os reanimou com suas promessas para o futuro (Sl 85.8-13).


Observe um detalhe importante: não basta clamar, é preciso prestar atenção à Palavra de Deus (S 85.8). Na semana passada ao abordar o tema teofobia, Jesus (Lc 16.19-31) enfatizou a necessidade de dar atenção a Palavra de Deus. Pela sua Palavra, Deus fala com seu povo (Sl 85.8).


O maior problema do ser humano hoje é não mais querer ouvir e dar atenção a Palavra de Deus. Dessa forma, desânimo, desespero e cuidado extremado conosco mesmos nos levam a afastar ainda mais do Senhor e ignorar o cuidado tão necessário com sua casa.


Graças a Deus, e sempre louvamos a Deus por isso: Deus está sempre perto para salvar (Sl 85.9). A glória do Templo havia ido embora quando o povo pecou e retornou, pois o povo havia se arrependido e confessado seus pecados (Sl 85.9). A expressão do favor de Deus para com seu povo está personificada nos versos 10-13. E é uma das mais belas descrições registradas nas Escrituras Sagradas.


“O amor e fidelidade se encontrarão; a justiça e a paz se abraçarão” (Sl 85.10). A descrição de abraços e beijos é uma das mais belas figuras do modo misericordioso de Deus lidar com seu povo.


Não importa quão desanimado e desesperado seu povo esteja. Não importa quão negligente o seu povo esteja em relação às coisas e a casa de Deus, o fato é que, quando se está caído, Deus está perto. Quando há falhas, Deus é misericordioso e anuncia sua misericórdia ao seu povo através do pregador que lhe foi enviado e por essa misericórdia restitui seu povo. Em Jesus o terno e profundo amor de Deus se encontram, se abraçam, e restaura o seus. Amém!




Rev. Edson Ronaldo Tressmann


30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo