top of page
Mulher orando

Mensagens

“No princípio criou Deus os céus e a terra” (Gn 1.1)


De acordo com Gênesis 1, nos primeiros três dias da criação Deus Elohim criou os reinos e só depois, nos três últimos dias, os reis; ou seja, no primeiro dia Deus criou a luz (reino) e no quarto os luzeiros – sol, lua, estrel


as – (reis); no segundo dia formou céus e águas (reinos) e no quinto as aves e os peixes para desfrutarem deles (reis); no terceiro dia fez separação


entre terra e mares (reinos) e no sexto dia formou o homem e a mulher para governarem sobre eles (reis). No sétimo dia, o Deus Criador que reina sobre tudo e todos, descansou.

Gn 1.3-31 descreve os dias da criação:

Primeiro dia: Luz e trevas, separação da luz e trevas – Gênesis 1:3:5;

Segundo dia: Separação das águas – céu abaixo das nuvens – Gênesis 1:6-8;

Terceiro dia: Terra seca, oceano, vegetais, ervas verdes – Gênesis. 1:9-13;

Quarto dia: Sol, lua e estrelas, marcação de tempo, dias e anos – Gênesis 1:14:19;

Quinto dia: Animais marinhos e aves do céu – Gênesis 1:20:23;

Sexto dia: Animais terrestres e o homem – Gênesis 1:24-31; e

Sétimo dia: Dia do descanso – Gênesis 2:1-3.

O primeiro capítulo de Gênesis é esclarecido em outras passagens

Tenha em mente que Deus não costuma explicar tudo o que há para saber sobre um assunto em um só lugar na Bíblia. Até mesmo os escritores bíblicos, inspirados por Ele, nem sempre entendiam completamente o que registravam (Daniel 12.8-9, 1Pedro 1.10-12). E, muitas vezes, Ele dá mais detalhes em outras passagens. Assim acontece com Gênesis 1.

O Espírito Santo, autor das Escrituras tem uma maneira própria de se expressar, assim como um advogado se expressa diferente de um médico ou de um teólogo, afinal há termos jurídicos, médicos e teológicos.

E a linguagem do Espírito Santo aqui revela que Deus, falando, criou todas as coisas e operou através da Palavra, e que todas as suas obras são palavras de Deus, criadas pela própria palavra não-criada.

E Deus viu que era muito bom (v.20)

Isso significar dizer que Deus conserva a sua criação. Por isso as palavras de Jesus (Mt 6.25). A Criação não iria persistir sem o amor de Deus pela sua criação que é boa (Rm 8.22-23).

E Deus viu que era muito bom (v.20) - significa que Deus não abandonará sua criação após ter criado, ele a ama e a aprova.

Toda essa criação amada e aprovada por Deus foi criada para o homem (v.26). O homem foi criado mediante um parecer do próprio Deus (façamos). É diferente de todas as outras criaturas. A criação do homem é uma providência especial. Ele supera todas as outras.

O tema criação é um dos temas mais debatidos, afinal, não houve testemunhas humanas. De um lado temos o testemunho das Escrituras e do outro lado temos o testemunho da ciência.

A doutrina mais combatida atualmente são as palavras de Gênesis 1.1No princípio criou Deus os céus e a terra”.

Richard Dawkins no livro: Deus, um delírio buscou ridicularizar a fé cristã e negar acintosamente a criação tal como apresentada na Bíblia. Não tenho dúvidas, mas as pessoas buscam responder: De onde veio o universo? Muitas respostas foram dadas a essa questão e são disseminadas nas seguintes teorias:

1. A teoria da geração espontâneadiz que o universo deu a luz a si mesmo. Não houve um criador nem uma causa primeira. Em resumo: “Ninguém vezes nada é igual a tudo”. A ciência prova que o universo é formado de massa e energia. A ciência atesta que o universo é governado por leis. No entanto, massa e energia não criam leis nem as leis criam a si mesmas. Logo, as leis foram criadas. Por quem? Pelo acaso? Deus responde pela sua Palavra inspirada: “No princípio criou Deus os céus e a terra”.

2. A teoria da explosão (Big Bang) diz que o universo surgiu de uma gigantesca explosão cósmica. Será que o caos pode gerar o cosmos? Será que a desordem pode gerar a ordem? Será que uma explosão pode gerar um universo com leis, movimentos, harmonia e propósito? Alguém escreveu que seria mais fácil acreditar que milhões de letras foram jogadas no ar e quando cairiam formaram uma enciclopédia.

Os astrônomos chegam a dizer que o diâmetro do universo deve chegar a 10 bilhões de anos-luz. A velocidade da luz é 300 mil quilômetros por segundo. Sendo assim, se tomássemos uma nave espacial percorrendo a fantástica velocidade de 300 mil quilômetros por segundo, gastaríamos 10 bilhões de anos para ir de um extremo ao outro. Será que uma gigantesca explosão produziu esse vasto universo governado por leis? Sabemos que a terra é o lugar adequado para nossa sobrevivência. Seria isso produto do acaso ou de uma explosão? Se estivéssemos mais pertos do sol, seríamos queimados; se estivéssemos mais longe, morreríamos congelados.

Precisamos de mais fé, para aceitar a teoria da explosão como origem do universo do que crer que, no princípio criou Deus os céus e a terra.

3. A teoria da evolução das espécies Charles Darwin em 1859 lançou em Londres o livro Origem das Espécies. Esse livro tornou-se o credo de milhões de pessoas a partir do século dezenove. Hoje, ensina-se a evolução nas Escolas e Universidades como se essa teoria fosse uma verdade científica. Segundo Darwin o mundo é o produto de uma evolução de milhões e milhões de anos. Essa evolução é regida pela seleção das espécies, ou seja, a sobrevivência do mais apto. O supracitado livro de Darwin trata-se de um amontoado de suposições. O relato de Gênesis, porém, está de acordo com as descobertas da ciência. Somos seres programados geneticamente. Deus colocou em nós os códigos de vida. Podemos ver mutação de espécies, mas não transmutação. Você pode ter diversos tipos de cães, mas jamais verá um cachorro se transformando num leão. Você pode ter diversos tipos de macacos, mas jamais verá um macaco se transformando em homem. “A ciência corretamente analisada jamais entrará em contradição com a Bíblia corretamente interpretada, pois ambas têm o mesmo autor: Deus”. Reafirmo com a Bíblia na mão: “No princípio criou Deus os céus e a terra” (Gn 1.1).

A criação é um mistério. Assim como a ciência terá sempre um problema com Jesus sendo Deus e homem, com seu nascimento virginal ou com a Sua ressurreição, então a ciência se esforçará para sempre ou, na melhor das hipóteses, verá o relato da criação em Gênesis como mitologia.

Deus criou o céu e a terra, e na maneira e no espaço do tempo registrado nas Sagradas Escrituras, especialmente Gn 1 e 2, ou seja, por sua poderosa Palavra criativa e em seis dias. Rejeitamos toda doutrina que nega ou limita a obra da criação como ensinado nas Escrituras.

Já que nenhum homem estava presente quando agradou a Deus criar o mundo, devemos procurar um relato confiável da criação para o próprio registro de Deus, encontrado no próprio livro de Deus, a Bíblia.

Mas, será que realmente importa no que eu creio?

É importante destacar que o livro de Gênesis não entra em conflito com a ciência e que, quando se analisam as evidências, ele realmente oferece uma explicação muito mais sólida do que qualquer teoria científica.

Agora, a questão é: você pode escolher ficar com o ponto de vista de que não há um Criador e que tudo é simplesmente resultado do acaso ou ouvir o que diz Deus no seu relato em Gênesis. Afinal, só temos ele como testemunha da criação.

O apóstolo Paulo assinalou há quase dois mil anos que muitas pessoas buscam encontrar formas para arrazoar sobre toda a evidência de um Criador (Romanos 1.20-32).

O rei Davi, cerca de três mil anos atrás, registrou seus pensamentos ao olhar para o céu à noite: “Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que ali firmaste, pergunto: Que é o homem, para que com ele te importes? E o filho do homem, para que com ele te preocupes” (Salmo 8.34, NVI).

Davi entendeu que um ser capaz de criar tamanha perfeição e esplendor deve ter um grande amor por nós. E ele tem. Tanto que mesmo após a queda fez uma maravilhosa promessa. E pelo profeta Jeremias nos convida: “Clama a mim, e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes, que não sabes” (Jeremias 33.3).


Rev. Edson Ronaldo Tressmann

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page