Não viva apenas de manchetes

Parece-me que estamos imersos em uma geração que, diante das infindáveis notícias, alimentam-se apenas das manchetes, e não do conteúdo da notícia em si. Curioso a respeito deste tema, descobri que, em 2018, fora realizada em Curitiba uma pesquisa sobre este assunto. Os resultados mostraram que, dentre os jovens, 70% se informam apenas com as manchetes. Já dentre os mais idosos e entre jovens adultos a pesquisa revelou que 40% se informam apenas com manchetes, e não com a notícia em si.


É fato Todos temos um pouco da geração zapping, aquela que quer fazer tudo ao mesmo tempo, que mais se importa em rolar a tela do smartphone e viajar por diversas manchetes do que abrir um link para leitura e aprofundamento. E, neste perigoso ritmo de alimentar-se apenas em manchetes, facilmente espalham-se fake News, juízos precipitados e cria-se uma sociedade rasa no saber o que acontece com ela mesma.


Esta realidade também é aplicada à espiritualidade. Aos nossos ouvidos chegam diversas manchetes dúbias, tais como: “todas as religiões são boas, pois Deus é um só”, “creio do meu jeito, minha fé não precisa de igreja” ou “como pode aquela pessoa ter ficado doente, se ela nunca fez nada de errado?”. E no ritmo frenético da geração zapping, podemos simplesmente abraçar estas frases e fazê-las nossas verdades de fé – esquecendo completamente de confrontar estas manchetes dúbias com a Verdade, com a Palavra de Deus.


Através do profeta Oséias, O Senhor já havia advertido: “meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento” (Os 4.6). A fé cristã não sobrevive de frases populares ou de expressões duvidosas, mas unicamente da própria Palavra do Senhor. É através dela que Deus nos fortalece a fé, nos fundamenta na vida cristã e nos revela o seu verdadeiro amor, celebrado recentemente na páscoa: a morte e ressurreição do seu próprio Filho Jesus para a nossa salvação. E, diga-se de passagem, esta é melhor notícia que podemos ter.


Então fica a dica: não viva apenas de manchetes, mas aprofunde-se. Beba da Palavra, mergulhe nela, estude ela, peça ajuda ao seu pastor, confronte ditados populares com a verdade da Palavra! Fiquemos com o exemplo dos cristãos de Beréia, que “estudavam as Escrituras Sagradas para saber se o que Paulo dizia era mesmo verdade” (Atos 17.1).





Pastor Bruno Serves

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo