Maria ou Marta?


Jesus está a caminho de Jerusalém. Desde que desceu do monte da Transfiguração, estava estampada em seu semblante sua resoluta decisão de ir para a cruz.


Crescia a oposição a Jesus. As autoridades judaicas já planejam sua prisão e condenação à morte. Nesse contexto Jesus chega a Betânia. Ali está uma família a quem Jesus amava, formada por Marta, Maria e Lázaro (Jo 11.5), uma família acolhedora (Jo 12.1-8). A recepção na casa de Marta deve ter sido não somente a Jesus, mas também aos discípulos. O trabalho de colocar a refeição sobre a mesa é exaustivo. Enquanto Marta se desdobra no serviço a Jesus, Maria se concentra em ouvir Jesus. Essa situação provoca desconforto em Marta. Ela não esconde sua agitação e cobra de Jesus uma postura. Quer que Jesus reprove Maria por sua atitude contemplativa e tome partido a seu favor. Que situação embaraçosa!


Jesus nunca se intimidou e seja qual for a situação, aproveita para ensinar. Assim, Jesus elogia Maria e reprova Marta, deixando claro que só uma coisa é necessária. Maria escolheu a boa parte e esta não lhe será tirada.


Apenas Lucas registra essa passagem e acontecimento de Jesus em Betânia. E nesse texto destaca que Maria assenta-se aos pés de Jesus para aprender (Lc 10.38,39); e, Marta e Maria são amadas por Jesus; e também, ambas procuravam servir e oferecer o seu melhor para Jesus.


É preciso destacar fatos especiais da vida de Maria, irmã de Lázaro. Essa personagem aparece três vezes nos Evangelhos (Lucas e João). A primeira vez é neste texto onde ela está aos pés de Jesus para aprender. Na segunda vez, em João 11.32, Maria está aos pés de Jesus para chorar. A última vez, João 12.3, ela está aos pés de Jesus para agradecer.


Analisando o texto de Lucas 10. 38-42 vemos duas atitudes de Maria que muito nos ensina. Maria está aos pés de Jesus ara ouvir e com muita humildade (Lc 10.39).


Servir a Jesus não é apenas trabalhar. Ouvir com atenção é mais importante. Warren Wiersbe escreveu que “O que fazemos com Cristo é muito mais importante do que aquilo que fazemos para Cristo”.


Marta estava agitada trabalhando (Lc 10.40), disposta a oferecer a melhor refeição para Jesus, mas, o desejo de Jesus era que ela conseguisse parar seus braços e abrisse seus ouvidos.


Enquanto encontramos Maria ouvindo, chorando e agradecendo aos pés de Jesus, Marta é encontrada nas Escrituras servindo a mesa, ativa e discutindo algo.


Marta se assemelha a muitas mulheres modernas. Possui um espírito irrequieto, sua mente está sempre dividida (Lc 10.40). O trabalho se tornou um substituto para um momento de intimidade. Marta é uma mulher muito ocupada (Lc 10.40) e assim perdeu uma prioridade, ouvir Jesus.


Marta só quis dar o seu melhor – mas infelizmente perdeu uma oportunidade riquíssima: ouvir atentamente o que Jesus ensinava.


Marta representa muitas mulheres que reclamam por fazer o serviço sozinho enquanto outras apenas aproveitam para ouvir e participar de uma boa conversa.


Apesar da reclamação de Marta ser contra sua irmã Maria, na verdade, a critica é dirigida para Jesus. Como pode estar sendo complacente com Maria enquanto eu estou fazendo tudo sozinha.


O comentarista bíblico Rienecker destaca que a diferença entre Marta e Maria era que, enquanto Marta desejava dar muito ao Senhor trabalhando arduamente, Maria desejava obter o melhor de Jesus, dispondo-se a ouvi-lo com atenção e humildade.


Observe que ao ser intimidado por Marta, Jesus a chama pelo nome duas vezes (Lc 10.41) mostrando enfaticamente que ela estava errada e não Maria. Sua ênfase era decorrente do seu amor por Marta.


Esse mesmo amor Jesus demonstra por nós quando nos disciplina e nos corrige (Ap 3.19).


Jesus não quer que a ansiedade tome conta de Marta a ponto de destruí-la. Seu dia corrido e agitado a estava distraindo e impedindo de uma coisa muito especial: ouvir Jesus!


Sua correria e agitação a impedia de escolher corretamente (Lc 10.41-42).


Qual é a sua maior necessidade hoje?


Certa vez Lutero disse: “Hoje tenho muito a fazer, portanto hoje vou ter que orar mais”. É verdade que eu posso fazer muito mais que vir e escutar a Palavra de Deus, mas, com certeza posso fazer bem mais depois de ter escutado a Palavra.


Imagine a situação: você em casa com sua esposa, filhos e o diálogo, falar e escutar não ocorre com frequência. O resultado disso todos nós sabemos.


A igreja é a família de Deus e tal como é preciso destacar que Deus, nosso Pai, deseja nossa atenção no ouvir sua Palavra um dia da semana.


Marta não estava errada em servir, trabalhar. Seu erro foi não parar um momento para escutar.


Jesus elogia Maria pela sua postura, sabedoria e escolha duradoura (Lc 10.42).


Todos nós vivemos de escolhas. Deus direciona nossas escolhas com sua Palavra a qual Ele deseja que a ouçamos com atenção e humildade.


Para um mundo que não quer mais ouvir com atenção, Lucas ao nos deixar registrado esse relato, destaca com propriedade que ouvir é essencial. No entanto, não é ouvir qualquer relato, mas, ouvir a Palavra de Deus. Como dar ouvidos a uma coisa tão ultrapassada quanto a Palavra de Deus?


Maria assentou-se para ouvir. Nada a impediu de prestar atenção. Marta também desejava ouvir, mas, estava absorvida pela correria do trabalho.


Com suas palavras dirigidas para Marta, Jesus destaca que o trabalho em excesso dispersa nossa atenção no ouvir atentamente a Palavra de Deus.


Com a parábola do bom samaritano, é ilustrado sobre amar o próximo mesmo estando pronto para ir ao templo. Com o relato de Marta e Maria, Jesus destaca que amar a Deus acima de todas as coisas é deixar de lado coisas também importantes para ouvir Jesus.


As “Martas” desta vida estão atarefadas e ansiosas pelas coisas terrenas que descuidam da vida espiritual. Por outro lado as “Marias” desta vida são aquelas que me meio ao seu serviço, sua correria, tira um tempo para com atenção e humildade ouvir a voz de Jesus. Amém!





Rev. Edson Ronaldo Tressmann

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo