Eva – a mãe de tudo que vive!


“O homem pôs na sua mulher o nome de Eva por ser ela a mãe de todos os seres humanos” (Gn 3.20).


A origem da palavra mãe é a mesma das palavras comadre (“com a mãe”), madrasta (“segunda mãe”) e madrinha (diminutivo de madre, mãe menor).


A palavra mãe no latim, “mater” está associada a outras duas: mamma (“seio”) e mammare (“mamar”). Estas duas palavras estão intimamente associadas ao ato de ser mãe e revelam um padrão comum: o som MA.


Não importa a língua, todos, sabendo ou não o idioma entendem quando uma criança chama pela mãe.


A sonoridade da palavra mãe é muito semelhante em todos os idiomas. Em Navajo (povo indígena da América do Norte) diz-se amá, e em quíchua (povo indígena dos andes) dizem mama. Os egípcios chamam a mãe de mut, e os coreanos de eomma, ainda os suaílis chamam mama.


Qual motivo? Deve-se ao fato de que os primeiros sons que os bebês produzem provêm das consoantes m, p, b. Para produção dessas consoantes os bebês só precisam abrir e fechar os lábios, sem a necessidade de dentes ou língua. Mas, porque mamã e não papá ou babá? Durante a amamentação os bebês produzem um som nasal semelhante ao ma. E isso é típico de qualquer bebê e em qualquer idioma. É preciso destacar que para os bebês, primeiramente mamã significa comida e não mãe. Por isso, a palavra mamãe no latim significa mamma “mama,seio.”


Para um bebê, a primeira pessoa que lhe providenciou alimento foi a mãe. Isso no ventre e quando saiu do ventre. Pode-se dizer que mãe é aquela que alimenta, por isso, o filho, não importa a idade sempre se lembra do feijão da mamãe, mesmo que seja queimado.


“O homem pôs na sua mulher o nome de Eva por ser ela a mãe de todos os seres humanos” (Gn 3.20).


Eva significa Vida! Ela foi a primeira mãe, e o fantástico é que essa mãe deu a luz com a certeza de uma promessa feita por Deus, tanto que a mesma expressou alegria quando seu filho Caim nasceu acreditando já ser ele o redentor da humanidade (Gn 4.1). No entanto, Caim tornou-se aquele que assassinou seu irmão por não se agradar da escolha de Deus em relação a oferta de Abel.


Eva ouviu e sabia que Deus cumpriria sua promessa, mas, essa promessa foi cumprida no tempo de Deus. O apostolo Paulo escreveu: “vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei” (Gl 4.4; Mc 1.14-15; Tt 2.11-14; Jo 1.1-18).


Desde o nascimento de Caim, o ser humano viveu na esperança do cumprimento da promessa do redentor. E após milhares de anos, tendo o Pai cumprido a missão, “...o seu povo não o recebeu” (Jo 1.11).


Eva – é a mãe de tudo que vive! Adão sabia que viveríamos da semente de Eva (Gn 3.15).


O homem caído em pecado, não mais sabia lidar com Deus, tanto que ao ouvir sua voz se escondeu. Foi preciso Deus se aproximar do ser humano e sua proximidade foi para lhe anunciar as consequências da queda em pecado e também para lhe trazer a mensagem de esperança com a promessa do redentor.


Mães criaram seus filhos nessa esperança! Mães tiveram a esperança de que seu filho fosse o Messias.


Para que o Senhor Jesus viesse ao mundo, muitas mães infelizmente tiveram que sofrer para que a promessa a respeito do Filho fosse cumprida. Lembremos de Joquebede que teve que colocar seu filho num cesto e coloca-lo no rio e, mesmo cuidando dele, depois dos sete anos teve que entrega-lo a filha do Faraó. Quantos milhares de filhos do Egito morreram antes da libertação do povo de Deus da escravidão? Ana, após uma promessa, teve seu filho deixado para Eli. Poderia citar muitos outros, mas, fiquemos apenas nesses exemplos.


O plano da redenção precisava ser cumprido e para isso, Deus que não mente (Tt 1.2) e é fiel em cumprir suas promessas (Hb 10.23), conduziu a história desde Gênesis e a conduz até hoje.


Será que houve exageros da parte de Deus enquanto Ele agia para cumprir sua promessa de enviar o salvador? Deus não precisava de advogado de defesa. Ele é Deus e ponto final. Muitos não concordam com algumas coisas. Chegando a desconsiderar Deus e o Antigo Testamento, mas, o fato é que Deus utilizou-se de pecadores para realizar sua obra. Eram pecadores sendo utilizados por Deus para salvar o pecador. Assim como acontece na igreja hoje. Somos uma composição de pecadores, perdoados em Cristo, usados por Deus com nossos dons para que a Palavra e a fé cheguem até as pessoas e elas sejam salvas. E muitas das coisas humanas, causada pelos pecadores, é que acabam prejudicando a ação da igreja.


Lembre-se: “Será que uma mãe pode esquecer o seu bebê? Será que pode deixar de amar o seu próprio filho? Mesmo que isso acontecesse, eu nunca esqueceria vocês” (Is 49.15). Deus não te esquece e faz o possível e impossível para te salvar. O Pai enviou seu Filho para nos fazer seus filhos e filhas. Amém!





Rev. Edson Ronaldo Tressmann

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo