E ele trará a paz!


Disse o profeta: E ele trará a paz! (Mq 5.5).


Essa paz não tem nada haver com a paz almejada pelo ser humano. A paz da guerra, da violência, das lutas. A paz anunciada pelo profeta não é ideológica conquistada por meios que geram outras guerras, lutas e desastres.


A paz almejada pelo mundo é aquela em que concentra o poder numa só pessoa. A paz humana é aquela realizada pela dominação de um só país. A paz humana é imposta pelo poder das armas.


O apostolo Paulo na carta aos Tessalonicenses destacou o engano dessa paz humana. “Quando as pessoas disserem: Estamos em paz e segurança, então de repente a ruína cairá sobre elas, como dores de parto para a mulher grávida, e não poderão escapar. Mas vocês, irmãos, não vivam em trevas, de tal modo que esse dia possa surpreendê-los como um ladrão. Porque todos vocês são filhos da luz e filhos do dia. Portanto, não fiquemos dormindo como os outros. Estejamos acordados e sóbrios” (1Ts 5.3-6).


O apostolo Paulo enfatizou a paz humana como trevas enganadoras e dominadoras da paz da alma. Um exemplo que posso citar é do nosso município. Quando não havia segurança, vivíamos tensos, sempre preparados e atentos. Agora, com vasto policiamento, descuidamos um pouco. Nesse sentido, a crítica do apostolo Paulo é que a segurança das armas não possa deixá-los com sentimento de segurança a ponto de ignorar a segurança da alma. Cuidado com a falsa paz e segurança!


Os evangelhos proclamam Jesus como alguém que promove a paz. Ele trouxe a paz! A paz de Jesus não está fundamentada nas ameaças das armas ou de quem detém o poder. A paz de Cristo é a paz com Deus.


O profeta Miquéias anunciou a respeito daquele que nasceria e nasceu em Belém-Efrata: “E ele trará a paz...” (Mq 5.5a).


Que paz é essa? Quão maravilhosa é essa paz!


Para sabermos qual é essa paz e quão maravilhosa é essa paz precisamos observar um mero detalhe do texto do profeta Miquéias. “O Senhor Deus diz: - Belém-Efrata, você é uma das menores cidades de Judá, mas do seu meio farei sair àquele que será o rei de Israel...” (Mq 5.1a).


Belém significa “casa do pão”. Efrata significa “lugar frutífero”.


As palavras do profeta anunciadas da parte de Deus é que Judá produziria o pão necessário para alimentar toda a humanidade. Anos após a profecia Jesus disse: “Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede” (Jo 6.35).


Deus veio ao nosso encontro para nos oferecer o pão da vida, o fruto de Belém, para nos dar paz com Deus. Essa paz, nenhuma violência, nenhuma guerra, nenhuma situação por mais desastrosa que seja, pode tirar. Disse Jesus: “Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo” (Jo 14.27).


"E a paz de Deus, que excede todo entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus" (Fp 4.7). Amém





Rev. Edson Ronaldo Tressmann

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo