Barão da mentira


Frederico Hyronymus viveu na Alemanha no final do século XIV e ficou conhecido como “o barão da mentira”. Um de suas estórias é essa: “certa vez sai a cavalo para passear, acabamos caindo numa vala profunda cheia de lama. Eu, sentado no cavalo fiquei afundado até o pescoço. Mas dei um jeito de sair; Peguei-me


pelos meus cabelos e me puxei para fora do lamaçal, junto com o meu cavalo, depois continuei cavalgando.


Embora esta seja apenas uma estória fantasiosa, ela ilustra o grande perigo em que muitas pessoas se encontram. Existem muitas pessoas que acreditam nos seus próprios esforços, méritos, obras ou inteligência para querer sair da condenação eterna; consequência do pecado que cometemos e da natureza pecadora que herdamos. 1 Jo. 1. 8 diz: Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Não vamos contar uma mentira para a nossa própria consciência dizendo ou pensando que a salvação de nossas almas depende dos nossos esforços, isso é fantasioso. Mas reconhecendo nossa situação de pecadores, saibamos que Deus, por meio de Cristo realizou justiça por nós para que pudéssemos ter alivio de nossas mazelas e pecados. O convite de Jesus é este: Vinde a mim, vocês que estão cansados e sobrecarregados, eu vos aliviarei. Mt. 11. 28. Confessemos, pois, a Cristo nossa indignidade e saibamos que nele há justiça e perdão que nos levam a salvação.

Rev. Lucimar Velmer

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo