top of page
Mulher orando

Mensagens

A namorada que ninguém queria


Gênesis 29:23 – À noite, conduziu Lia, sua filha, e a entregou a Jacó.


O texto hebraico diz que Raquel, além de bela, tinha um porte formoso. Lia, a filha mais velha, porém, “tinha olhos baços” (Gn 29:17). Literalmente, “olhos caídos”, “sem brilho” ou “fracos”. Alguns têm assumido que sua visão era deficiente. A passagem, contudo, não diz que Lia tinha olhos deficientes, mas Raquel podia ver bem. O texto diz que Lia tinha olhos fracos, mas Raquel era bela. O ponto da narrativa é claro: Lia era particularmente sem atrativos e teve que sobreviver à sombra de sua fascinante irmã.


Provavelmente, seu pai sabia que nenhum homem jamais iria casar-se com ela ou oferecer-lhe um dote financeiro por essa garota. Por anos, ele deve ter imaginado o que faria com essa filha. Finalmente, ele encontrou a solução para o problema. Labão viu a oportunidade na paixão de Jacó por Raquel. Mas o que isso significou para a filha mais velha? Lia aparece como a filha que o pai não desejava e se torna a esposa que o marido não queria.


Em seu coração, ela estabelece um plano desesperado para ganhar a afeição do marido, emocionalmente distante dela. Os últimos versos do capítulo 29 do livro de Gênesis estão entre os mais pungentes da história bíblica: “Vendo o Senhor que Lia era desprezada, fê-la fecunda; ao passo que Raquel era estéril” (v.31). Ao dar à luz os primeiros filhos, Lia desejava que o marido a amasse. Ela disse: “Soube o Senhor que [eu] era preterida” (v.33). Também afirmou: “Agora, finalmente, meu marido se apegará a mim” (v.34, NVI). Lia havia colocado todas as esperanças e os sonhos em seu marido. Sua identidade perdera-se nele, julgando que os filhos o aproximariam dela. Contudo, vê cada dia nos braços daquela em cuja sombra ela vivera como um golpe novo numa ferida antiga. Cada filho parecia empurrá-la mais fundo no inferno de sua solidão.


Por fim, Lia desvia o foco de suas atenções com a concepção de Judá, de cuja linhagem, viria o Messias. Ela não estava mais fixada no marido: “Esta vez louvarei o Senhor” (v.35). Ela usa o nome Yahweh, o Deus pessoal da graça. Ela entregara os mais profundos desejos de seu coração nas mãos do Senhor. Labão e Jacó haviam roubado sua vida, mas agora ela a recebe de volta.

Você que me ouve, o que você tem a aprender com Lia?


Reflita sobre isso no dia de hoje e ore comigo agora:


Obrigado, Senhor, porque muitas vezes, mesmo sendo abandonados, renegados, a Tua graça e o Teu amor não nos abandonam. Obrigado por essa consideração maravilhosa, Pai. Te louvamos em nome de Jesus, amém!


Pr. Amilton Menezes

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page