A maior aflição humana


As pessoas andam perturbadas e agitadas. Guerras? Vírus? Doenças?


O apostolo João narrou o discurso de despedida de Jesus (Jo 14.1-16.33). E chama atenção o fato de Jesus iniciar sua despedida dizendo: “Não fiquem aflitos...” (Jo 14.1) e termina seu discurso enfatizando: “No mundo vocês vão sofrer, mas tenham coragem. Eu venci o mundo” (Jo 16.33). Aflições e sofrimentos são naturais em nossa vida nesse mundo.


Em seu discurso de despedida, em especial no capítulo 14 de João, vemos três grandes aflições dos discípulos de Jesus e que são também aflições dos nossos dias.


Jesus disse: “não fiquem aflitos” – e por boca de Tomé, Filipe e Judas, percebemos três grandes aflições. Tomé quer saber o caminho que leva a Deus. Filipe deseja uma revelação do Pai e Judas sobre a manifestação de Deus.


Será que precisamos ter uma manifestação especial para saber quem é Deus?


Deus é espirito e só o conhecemos em Jesus (Jo 14.9). Jesus é o rosto de Deus. E não apenas isso! O rosto de Deus é também conhecido por nossas obras (Jo 14.12).


O mundo carece de que algo lhe prove que Deus é Deus. Eles buscam por caminhos que levam a Deus, buscam verdades libertadoras, buscam vida em meio a morte, buscam conhecer o rosto de Deus, mas, infelizmente ignoram a revelação do Pai que é Jesus.


Há muita aflição no mundo. E a real aflição humana e não saber quem é Deus e que em Jesus, Deus se revelou morrendo pelo pecador. Amém!




Rev. Edson Ronaldo Tressmann

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo