A ele ouvi!


Texto Base: Mateus 17.1-9


Quando somos jovens é comum em nossa rebeldia não querermos ouvir nossos pais. Achamos que o que nossos pais dizem sempre é contrário a nossa vontade. Que eles estão querendo reprimir nossa liberdade. E esta rebeldia se torna mais evidente quando estamos na fase da adolescência. Quando o hormônios estão aflorando em nosso corpo. É uma fase difícil, parece que tudo e todos estão indo contra nossas vontades. Nesta fase queremos desbravar e conquistar o mundo, sem dar satisfação a ninguém. Como muito se usa nos dias atuais, queremos “curtir” e nada mais interessa.


E por mais que você ache que nunca foi assim, na sua adolescência você também assim o fez! Uns mais outros menos. E como bem diz o Sábio Salomão: Tudo passa, há tempo para tudo. Esta fase também passa. E depois vamos começar a entender que nossas pais tinham razão. Eles sabiam melhor que nós o que era bom e o que não era tão bom assim. Coisas, lugares e decisões que poderiam nos levar a um caminho sem volta. E eu confesso a vocês que eu comecei a entender isto depois dos 25 anos. Já não tinha mais meu pai comigo para o agradecer pelo cuidado que teve comigo e pelos momentos que disse: não faça. Era simplesmente para me proteger de algo ruim.

Ao dizer tudo isso, ouvimos com muita frequência em nossa juventude, a frase: “Ouça o que teu pai, ou sua mãe diz!” As vezes vinda dos avós, dos tios, dos primos com mais idade, da professora e por aí vai. Eles estavam nos chamando a atenção para que déssemos ouvido aquilo que é bom, agradável e descente para termos uma vida ética, saudável e coesa. Pois, de fato, eles tinham mais experiência que nós diante da vida que já tinham vivido.

No texto proposto, texto em que lembramos a Transfiguração de Jesus, a voz que aparece ao Jesus resplandecer diante dos discípulos é a voz do próprio Deus, mostrando aos discípulos e a nós que aquele que estava caminhando com eles, era, de fato, o Deus encarnado, que além de ter mais experiência que os discípulos era o Criador e Redentor em carne e osso que estava apenas mostrando a sua glória e majestade aos discípulos. Por isso, “ouçam o que ele diz:”


Esta frase serve para nós, todos os dias, “ouçam o que ele diz.” Muitas vezes por rebeldia, agimos como uma criança mimada, um adolescente. Não queremos ouvir, tirar tempo, e dedicar a vida e nossa prioridade a voz do Senhor. E quando digo a voz do Senhor. É a sua palavra e seus ensinamentos, e tudo o que ele ensinou. Quando ele diz: No mundo passais por aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. (Jo 16.33). Quando ele diz: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. (Jo 14.6). Quando ele diz: Eu sou a ressurreição e a vida, quem crê em mim, ainda que morra viverá. (Jo 11.25) E tantos outros ensinamentos que precisamos sempre guardar em nossos corações.


Eu destaquei três passagens de Jesus com um propósito, pois são três momentos da vida que geralmente nós mais nos questionamos. Primeiro deles: Momento de dor. É neste momentos que muitas vezes fazem com que abandonemos a fé. Deixamos de confiar em Deus, pois é estranho confiar num Deus de amor, quando estamos sofrendo. E Jesus quer que nunca se esqueçamos: Eu venci o mundo.


Segundo momento quando somos confrontados com perguntas, ideias e filosofias humanas sobre a nossa salvação. É nestes momentos que muitas vezes esquecemos que há só um caminho, uma verdade e que é a vida. Este é Jesus. Por isso a ele ouvi!


Num terceiro momento, é quando estamos diante da morte, seja a nossa morte, seja a de alguém que amamos, e que partiu antes de nós. Jesus quer nos fazer lembrar: ele é a ressurreição e a vida, quem crê nele ainda que morra viverá! Por isso: a ele ouvi.


Queridos, quando surgir uma destas três situações da vida, o “a Ele ouvi,” precisa ter total peso em nossa vida, para que cada vez mais ouçamos o Senhor, e não caiamos em desespero, mas em total confiança naquele que é nosso guia e Senhor. Amém.




Rev. Gabriel Boldt

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo